Eu participo no Facebook
http://www.euparticipo.org/portugal/economia/Menos-feriados-mais-ferias
Jorge Oliveira

economia

Menos feriados, mais férias

Acabar com uma serie de feriados mal celebrados e desenquadrados, dar mais dias de férias, aumentar a productividade
07 Outubro 2009
A questão não é nova mas tem que ser debatida. Olhando para a quantidade de feriados que temos e aos quais se associam sempre muitas pontes e semanas muito pouco produtivas, não faz mal nenhum acabar com meia-dúzia deles.

Analisando os vários que temos, ficaríamos apenas com:

1/Janeiro - Ano Novo

Páscoa - pelo peso da tradição pagã

25/4 e 1/Maio: celebrados rotativamente, ano sim, ano não;

Feriado Local;

Dia de Portugal: a 10/Junho ou a 1/Dezembro. Manter os dois não faz   continuar a ler a proposta continuar a ler a proposta
A questão não é nova mas tem que ser debatida. Olhando para a quantidade de feriados que temos e aos quais se associam sempre muitas pontes e semanas muito pouco produtivas, não faz mal nenhum acabar com meia-dúzia deles.

Analisando os vários que temos, ficaríamos apenas com:

1/Janeiro - Ano Novo

Páscoa - pelo peso da tradição pagã

25/4 e 1/Maio: celebrados rotativamente, ano sim, ano não;

Feriado Local;

Dia de Portugal: a 10/Junho ou a 1/Dezembro. Manter os dois não faz sentido;

25/12 - Enfim, é Natal.

Como contrapartida, os dias de férias ao trabalhador estendiam-se para 25 em vez dos actuais 22.
  • concordam

  • concordam 4

  • discordam

  • discordam 4

apoiantes da proposta

  • mario p
  • Joana Catarina Torres
  • Nuno Aer
  • Paulo Marques

comentários comentários

O 1.o de Maio é um feriado internacional (penso que só no EUA näo o celebrem), logo näo vejo porque tenha de ser "rodado" com o Dia da Liberdade, que foi um evento local. De facto, näo vejo absolutamente razäo *nenhuma* para equiparar estes dois feriados. Como trabalho continuar a ler o comentário
O 1.o de Maio é um feriado internacional (penso que só no EUA näo o celebrem), logo näo vejo porque tenha de ser "rodado" com o Dia da Liberdade, que foi um evento local. De facto, näo vejo absolutamente razäo *nenhuma* para equiparar estes dois feriados. Como trabalho e aprecio muito a liberdade, penso até que só estes dois chegavam. Mas adiante.
De qualquer modo, poderíamos manter esse 8 feriados mencionados, que säo mais do que suficientes.

Em termos de feriados religiosos, lembro a todos que Portugal é um Estado laico, logo ao dar predominäncia aos feriados católicos está a descriminar as outras religiöes. Ou há moral ou comem todos. Entäo dar-se-äo os dias "especiais" aos muçulmanos e ortodoxos?
Näo se iria reagir muito bem ao corte, näo pela religiosidade local, mas pelo simples facto de se perder um dia de férias, ponto final, deixemo-nos de ingenuidades.

A Finländia é um Estado com religiäo oficial (Cristianismo Luterano), mas os feriados religiosos säo celebrados no Sábado seguinte desde os anos 70, pela simples razäo de que:
1 - häo pessoas ateias ou de outra religiäo, logo näo faz sentido gozar um dia "seco"
2 - no Sábado näo se trabalha, logo quem quer celebrar fá-lo, e os outros fazem o que quiserem
Será por isso que as férias duram 6 semanas?

... agora para ser venenoso, em 1975 o 1.o Ministro instituiu o "Dia por Portugal" ou coisa do género, um Domingo em que se iria trabalhar voluntariamente para aumentar a produtividade do País... sabem quantos se dignaram a aprecer? >:D

André Serranho 19 Outubro 9h04

  • comentário interessante
    comentário desconstrutivo
    comentário inapropriado
    apagar comentário
Discordo! Não pelo facto de querer mais pontes, mas porque não faz sentido abolir a maior parte deles. Os de índole religiosa fazem sentido porque Portugal é um País maioritariamente cristão e não iria reagir muito bem ao corte. Não é só por se pensar continuar a ler o comentário
Discordo! Não pelo facto de querer mais pontes, mas porque não faz sentido abolir a maior parte deles. Os de índole religiosa fazem sentido porque Portugal é um País maioritariamente cristão e não iria reagir muito bem ao corte. Não é só por se pensar que a religião para as gerações mais novas passou de moda que vamos impor a nossa filosofia de vida.

Os outros são sobretudo comemorações históricas, e os putos de hoje em dia, em vez de aproveitarem o feriado para se meterem no cinema ou ficar em casa em frente à me*** do computador, deviam era prestar homenagem à passagem ou personalidade história, sempre aprendiam alguma coisa e dava outro valor histórico e patrimonial ao país em que vivem.

João Martinho 16 Outubro 10h59

  • comentário interessante
    comentário desconstrutivo
    comentário inapropriado
    apagar comentário
Concordo ainda que os feriados de ordem religiosa (Corpo de Deus, blah blah blah) sejam abolidos, tanto porque o Estado é laico como porque existem, de facto, feriados a mais. Concordo com as férias sugeridas, devido ao peso que têm na cultura, ainda que sejam de origem religiosa.

Nuno Aer 09 Outubro 23h11

  • comentário interessante
    comentário desconstrutivo
    comentário inapropriado
    apagar comentário
Concordo com a medida. Sou da opinião que temos feriados demais, que em conjugação com as "pontes" dá ainda menos dias de trabalho.

Se bem que a solução da produtividade nas nossas empresas passa primeiro pelos nossos gestores, e não pela ralé.

Paulo Marques 09 Outubro 17h18

  • comentário interessante
    comentário desconstrutivo
    comentário inapropriado
    apagar comentário
Pelo que percebi, a proposta visa guarda 6 dias feriados por ano, sendo um deles ao Domingo. A fim de tentar perceber se a proposta fazia algum sentido ou se era somente um efeito de moda (ando desconfiado destas propostas desde que vi nas noticias comparações com a China e outros pessoas continuar a ler o comentário
Pelo que percebi, a proposta visa guarda 6 dias feriados por ano, sendo um deles ao Domingo.

A fim de tentar perceber se a proposta fazia algum sentido ou se era somente um efeito de moda (ando desconfiado destas propostas desde que vi nas noticias comparações com a China e outros pessoas a incluir fins de semana nestas contas de dias de (não) trabalho) , tentei saber quais eram os feriados e férias na Europa.

Tendo como referencia dados de 2003 (foi o que encontrei), para um empregado com 10 anos de casa numa dada empresa, a média de dias de férias (sem feriados) situava-se em 23 dias (mais ou menos o caso Português).

Para ter uma ideia do somatório de dias feriados nacionais (fora os locais) + dias de ferias nos vários países, aqui vai uma tabelinha:
Pais Ferias Feriados Total
Finlândia 25 14 39
Áustria 25 13 38
Grécia 25 12 37
França 25 11 36
Portugal 22 14 36
Espanha 22 14 36
Suécia 25 11 36
Dinamarca 25 10 35
Luxemburgo 25 10 35
Alemanha 20 13 33
Bélgica 20 10 30
Itália 20 10 30
Irlanda 20 9 29
Países Baixos 20 8 28
Reino Unido 20 8 28

Reduzir para 6 dias feriados e aumentar para 25 dias de férias, levaria a:
Portugal 25 6 31

Pelos dados estatísticos de 2003, não existe uma relação directa entre dias de ferias + feriados e produtividade/riqueza produzida.

Pode-se provavelmente cortar um feriado aqui e outro ali mas usar como argumento o aumento da produtividade não parece convincente.
Portanto não vejo razão para diminuir tão drasticamente os dias feriados existentes.

Trocar feriados por ferias, não digo que não.
Tirar um ou outro feriado, ok.
Mas usar a produtividade como pretexto.... não me convenceu.

J.Pereira 08 Outubro 1h42

  • comentário interessante
    comentário desconstrutivo
    comentário inapropriado
    apagar comentário
Não concordo com os alguns Feriados a manter e os a cortar. Mas a ideia em si é interessante. Tenho de pensar melhor no assunto.

Miguel Portela 07 Outubro 18h33

  • comentário interessante
    comentário desconstrutivo
    comentário inapropriado
    apagar comentário

video euparticipo

youtube

Democracria electrónica

Democracia Online é um projecto quer pertende reformular a o actual modelo democrático